Notícia: Adolescente suspeito de matar a família citou massacre no Facebook

Adolescente suspeito de matar a família citou massacre no Facebook



O único amigo do adolescente Marcelo Eduardo Bovo Pesseghini, também de 13 anos, afirmou em depoimento à polícia que o garoto tinha fantasias constantes de matar os pais, pegar o carro da família e fugir para um lugar desconhecido. As informações foram dadas pelo delegado responsável pelas investigações, Itagiba Moreira Franco, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

“Sempre me chamou para fugir de casa alegando que tinha o sonho de ser um matador de aluguel. Tinha um plano: matar os pais durante a noite, quando ninguém soubesse, e fugir com o carro dos pais para morar em um local abandonado”, diz um trecho do depoimento, lido pelo delegado na tarde desta terça-feira.

O adolescente Marcelo é suspeito de matar a tiros os pais – o sargento da Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) Luis Marcelo Pesseghini, de 40 anos, e a cabo do 18º Batalhão Andreia Regina Bovo Pesseghini, de 36 – a avó, Benedita Oliveira Bovo, 65, e a tia-avó, Bernardete Oliveira da Silva, 55. Em seguida, Marcelo teria se suicidado. O crime aconteceu entre a noite de domingo e a madrugada de segunda-feira, na Vila Brasilândia, Zona Norte de São Paulo.

Segundo apurou a polícia, Marcelo era um garoto isolado, com poucos amigos e tinha muitas armas de brinquedo no seu quarto. Com papelão, ele chegou a improvisar um colete igual ao da tropa de choque da PM. Usando fita adesiva, confeccionou um coldre. O garoto também sofria de diabetes e fibrose cística, uma doença genética incurável que costuma levar à morte prematura se não tratada.

Segundo a polícia, o adolescente que prestou depoimento à polícia era praticamente o único amigo de Marcelo. Também de 13 anos, ele estudava na mesma escola do suspeito.

Marcelinho, como era conhecido pelos amigos mais próximos, compartilhou uma imagem na qual apareceria um fantasma do famoso caso do Massacre de Amityville, no qual Ronald Joseph "Butch" DeFeo Jr. assassinou os pais, dois irmãos e duas irmãs. Na imagem compartilhada pelo jovem Pesseghini, investigadores de causas sobrenaturais teriam flagrado uma imagem que seria o "espírito" de um dos irmãos do assassino.

Fonte: VEJA.com
Foto: Reprodução/Facebook
Página anterior Próxima página