Notícia: Cantareira fica perto de ter capacidade apenas do volume morto

Cantareira fica perto de ter capacidade apenas do volume morto



O Sistema Cantareira continua perdendo água e vai contar apenas com uma quantidade igual à do volume morto a partir dos próximos dias. Se a água do volume morto não tivesse sido incorporada ao volume útil do sistema, os reservatórios teriam agora apenas 0,2% do volume total.

Com o índice de 18,7% marcado pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) nesta quinta-feira (10), restou pouco mais do que a quantidade adicionada pela Sabesp às medições no dia 16 de maio.
Na época do início do bombeamento da água do fundo dos reservatórios, o nível saltou de 8,2% para 26,7% da capacidade total do sistema, e água do volume morto foi incorporada ao volume útil.

O Sistema Cantareira abastece cerca de 9 milhões de consumidores na Grande São Paulo. As represas vêm secando nos últimos meses e, desde o final do ano passado, a falta de chuvas leva a capacidade a níveis alarmantes.

Em junho, o nível de chuvas no Sistema Cantareira foi de 15,9 mm, segundo a Sabesp. Número bem abaixo da média história do mês, que é de 56 mm. O mesmo ocorreu nos outros meses do ano.
A queda no nível do sistema ocorreu em 90% dos dias do ano, segundo levantamento a partir dos boletins divulgados pela Sabesp nos primeiros seis meses do ano. Fevereiro foi o mês do ano com o maior total de pontos percentuais perdidos de água: 5,5.

A Agência Nacional de Águas (ANA) já divulgou previsão de que a água no Sistema Cantareira dura até novembro. A expectativa é que a estação de chuvas, a partir de outubro principalmente, possa reverter o atual quadro.

Fonte: G1
Foto: Nilton Fukuda/Estadão Conteúdo
Página anterior Próxima página