Notícia: Fifa entrega lista de telefones à policia após 900 ligações de cambista

Fifa entrega lista de telefones à policia após 900 ligações de cambista



A Fifa informou nesta segunda-feira que entregou á Polícia Civil do Rio de Janeiro uma lista com todos os números de telefones utilizados por membros da entidade no Brasil, durante a Copa. A lista foi repassada por solicitação de policiais já que investigações sobre uma quadrilha internacional de cambistas apontam que um número da Fifa recebeu 900 chamadas do grupo que comercializava ingressos ilegalmente.

A informação sobre as ligações foi divulgada neste domingo pelo Fantástico, da TV Globo. Foi a própria porta-voz da Fifa, Delia Fischer, quem afirmou que a lista já foi entregue à polícia.

"A Fifa está cooperando com as autoridades para encerrar as atividades de qualquer cambista", disse Delia. "Já entregamos a lista de lista de telefones da Fifa. Isso foi fornecido às autoridades."

A operação que descobriu o esquema foi batizada de Jules Rimet, em alusão ao nome do primeiro presidente da Fifa. Ela é resultado de pelo menos um mês de investigações da polícia e Ministério Público.

Mais de cem ingressos foram apreendidos na ação, além de dinheiro e máquinas para pagamento em cartão de crédito. Os bilhetes pegos pela polícia eram reservados pela Fifa a seus patrocinadores, a clientes de pacotes de hospitalidades (camarotes) e até a membros de comissões técnicas de seleções. Dez ingressos, inclusive, eram reservados as integrantes da comissão técnica da seleção brasileira.

Segundo Polícia Civil, a quadrilha vendia ingressos por até R$ 35 mil. Com isso, lucrava até R$ 1 milhão por jogo. Na Copa, o grupo poderia faturar R$ 200 milhões.

Suspeitos presos informaram à polícia que o esquema não é novo. Ele funcionava há quatro Copas. O trabalho seria tão lucrativo que integrantes da quadrilha trabalhariam durante o torneio e depois descansariam por quatro anos até o próximo Mundial.

Todos os presos vão responder pelos crimes de lavagem de dinheiro, associação criminosa e cambismo. Podem ser condenados a até 18 anos de prisão.

Fonte: UOL
Foto: A/D
Página anterior Próxima página