Notícia: Voo MH17: investigação revela 'descompressão' ligada a forte explosão

Voo MH17: investigação revela 'descompressão' ligada a forte explosão



Um avião da Malaysian Airlines que ia de Amsterdã a Kuala Lumpur caiu na quinta-feira, 17 de julho, próximo da fronteira entre a Rússia e a Ucrânia. A bordo do avião, um Boeing 777, havia 298 pessoas, entre passageiros e tripulantes, informou a companhia aérea. Não há sobreviventes.

A investigação das caixas-pretas do Boeing da Malaysia Airlines abatido no leste da Ucrânia revelou uma "descompressão" ligada a uma "forte explosão" causada por um míssil, indicou nesta segunda-feira o Conselho de Segurança Nacional e de Defesa ucraniano.

"Os dados registrados nas caixas-pretas mostram que a destruição e a queda do avião foram causadas por uma descompressão ligada a uma forte explosão em razão das muitas perfurações provocadas por um míssil", informou à imprensa um porta-voz do Conselho ucraniano, Andrii Lyssenko.

Contactado pela AFP, o Bureau holandês no comando da investigação, o OVV, não quis confirmar nem negar esta informação. "Preferimos esperar ter uma ideia mais completa do que aconteceu, em vez de publicar fragmentos de informação aqui e ali", disse à AFP Sara Vernooij, porta-voz do OVV.

A AAIB, a agência britânica que investiga acidentes aéreos foi encarregada de examinar as caixas-pretas encontradas no local da queda do voo MH17 que deixou 298 mortos. Os dados devem ser analisados por uma equipe internacional liderada pela Holanda.

Kiev e o Ocidente acusam os separatistas de serem os responsáveis pela catástrofe.

Fonte: MSN
Foto: AFP
Página anterior Próxima página