Notícia: Rússia é acusada de intervenção direta no leste da Ucrânia

Rússia é acusada de intervenção direta no leste da Ucrânia



As acusações de interferência direta da Rússia nos combates no leste da Ucrânia aumentaram nesta quinta-feira (28), depois que os rebeldes assumiram o controle de territórios de forças governamentais em retirada.

"Um número cada vez maior de tropas russas atuam diretamente nos combates em território ucraniano", escreveu o embaixador americano em Kiev, Geoffrey Pyatt, no Twitter.
"A Rússia também enviou os sistemas de defesa aérea mais recentes", completou.

A Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE) anunciou uma reunião extraordinária para esta quinta-feira para analisar as "violações russas na Ucrânia".
O presidente francês, François Hollande, destacou nesta quinta que a presença de soldados russos em território ucraniano, caso confirmada, seria "intolerável e inaceitável".

Moscou negou em várias ocasiões qualquer participação no conflito entre o governo ucraniano e os insurgentes separatistas do leste da Ucrânia, como acusam Kiev e vários países ocidentais.
Um líder dos separatistas admitiu na quarta-feira a presença de soldados russos nos combates.
"Muitos soldados russos se uniram a nós. Eles preferiram não passar as férias na praia, e sim ao lado de seus irmãos lutando pela liberdade de Dobnbass", disse Alexander Zajarchenko, "primeiro-ministro" da autoproclamada República Popular de Donetsk em um comunicado publicado na internet.

O ministro russo das Relações Exteriores, Sergei Lavrov, disse que o Kremlin "não tem interesse em fragmentar a Ucrânia", mas anunciou o envio de mais comboios de ajuda russa ao território ucraniano em breve.
Bombardeios nas últimas 24 horas mataram 11 civis no reduto separatista de Donetsk, segundo as autoridades locais.
"Disparos de artilharia contra bairros de Donetsk mataram 11 civis e deixaram 22 feridos", afirma um comunicado da prefeitura.
Após várias semanas de ofensiva que permitiram à forças do governo avançar nos principais redutos, as coisas pareciam mudar para as tropas de Kiev.

Na localidade de Starobesheve, 30 km ao sudeste de Donetsk, era possível observar a retirada das tropas ucranianas na quarta-feira.
Militares ucranianos admitiram que "rebeldes e ocupantes russos" assumiram o controle de Starobesheve e de localidades próximas a Novoazovsk, perto do mar de Azov.
O primeiro-ministro ucraniano, Arseni Yatseniuk, disse que chegou o momento de uma ação da Otan.
"Esperamos que nossos sócios ocidentais e a aliança proporcionem ajuda prática e tomem decisões cruciais na reunião de 4 de setembro", disse.

Fonte: G1
Foto: Divulgação
Página anterior Próxima página