Notícia: Crianças vivem sitiadas em hotéis da Cracolândia

Crianças vivem sitiadas em hotéis da Cracolândia



Os hotéis alugados pela Prefeitura de São Paulo para abrigar dependentes químicos da Cracolândia viraram moradia para dezenas de crianças. Elas passam o dia trancadas em seus quartos, isoladas pelo consumo de crack dos vizinhos. Passados sete meses do início do programa Braços Abertos, aposta da gestão Fernando Haddad (PT) para enfrentar o vício na região, os imóveis do projeto acumulam sujeira, ratos e corredores sem iluminação.

O total de crianças ali varia entre 31, segundo a Prefeitura, e 45, conforme afirma o proprietário dos hotéis onde as crianças estão. 'Quando não estão na creche, se está calor, eu fico com eles na praça (Largo Sagrado Coração). Se está frio, eles ficam aqui trancados, o dia todo', diz a dona de casa Janaina Conceição Xavier, de 34 anos. Com ela, vivem três filhos. Ela espera pelo quarto.

Segundo os moradores, as crianças têm vagas em creches e escolas da região, mas as condições sanitárias dos imóveis para onde foram enviadas são precárias

O advogado Ariel de Castro Alves, membro do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos Humanos (Condepe), afirma que a manutenção de crianças ali viola o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), uma vez que o ambiente insalubre as expõe a riscos à saúde. 'É estarrecedor que isso ocorra, ainda mais em um ambiente mantido pela Prefeitura', diz o advogado.

Segundo nota da Secretaria Executiva de Comunicação, 'a Prefeitura de São Paulo não concorda com o grau de deterioração descrita e vai notificar imediatamente a ONG Brasil Gigante para fazer cumprir junto a seus fornecedores condições dignas e adequadas de moradia nos hotéis contratados na região'. A ONG é a responsável por escolha dos hotéis para os dependentes.

A ONG Brasil Gigante foi contratada de forma emergencial, sem licitação, pela Secretaria Municipal do Desenvolvimento, Trabalho e Empreendedorismo, para intermediar as ações da Prefeitura com os dependentes de crack da cracolândia. Um processo licitatório formal está em andamento, com previsão de término no próximo dia 9. Atualmente, a Prefeitura paga R$ 450 por hóspede.

Fonte: MSN
Foto: Sérgio Castro Estadão
Página anterior Próxima página