Notícia: Rebeldes pró-Rússia assinam acordo de cessar-fogo com Ucrânia

Rebeldes pró-Rússia assinam acordo de cessar-fogo com Ucrânia



A Ucrânia e os separatistas pró-Russia assinam um acordo de cessar-fogo para o leste da Ucrânia que entrará em vigor às 18h locais (12h, no horário de Brasília) desta sexta-feira (5).

A informação divulgada por agências de notícias internacionais foi confirmada pelo presidente ucraniano Petro Poroshenko em sua conta no Twitter, sem dar mais detalhes.

Representantes da Ucrânia, dos separatistas pró-Rússia, da Rússia e da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) começaram nesta sexta-feira (5) as conversas para tentar resolver o conflito no leste ucraniano. O encontro ocorre na capital da Bielorrússia, Minsk.

Serhiy Taruta, governador da autoproclamada "República Popular de Donetsk", região palco de confrontos entre os separatistas e o exército ucraniano, também confirmou a assinatura do acordo e disse que estava esperando mais detalhes.
Segundo uma fonte próxima às conversas citada pela agência russa Interfax, foram acertados 14 pontos neste acordo. Não houve confirmação imediata por parte do governo da Ucrânia, informa a Reuters.

De acordo com a Associated Press, os separatistas que atuam no leste da Ucrânia afirmaram no Twitter que assinaram um acordo de cessar-fogo com o governo da Ucrânia que começa a valer em menos de duas horas. A autencidade da conta não foi confirmada.
"Todos vieram pela paz. Essa é a coisa mais importante - chegar a uma trégua", disse o ex-presidente ucraniano Leonid Kuchma logo antes da reuniao.
Nesta quinta, Poroshenko disse que o plano deveria ser assinado nesta reunião. Um dos líderes disse à Reuters que separatistas pró-Rússia precisavam de "garantias adequadas" de que a Ucrânia vai honrar qualquer acordo de cessar-fogo.

Segundo a agencia, os líderes das autoproclamadas República Popular de Donetsk e Luhansk propõem a criação de uma "zona de segurança" em cinco partes que seriam monitoradas por 40 observadores da OSCE na Europa.
Os rebeldes também permitiriam um corredor humanitário para refugiados e ajuda médica, como parte do plano de cessar-fogo, "a fim de estabilizar a situação e parar com o derramamento de sangue".

Em pronunciamento na televisão, o primeiro-ministro da Ucrânia, Arseny Yatseniuk, defendeu que o plano de paz inclua três pontos principais: um cessar-fogo, a retirada de "forças russas, bandidos russos e terroristas" e a restauração da fronteira da Ucrânia com a Rússia.

Fonte: G1
Foto: A/D
Página anterior Próxima página