Notícia: Governo de Hong Kong suspende diálogo com estudantes

Governo de Hong Kong suspende diálogo com estudantes



O governo de Hong Kong suspendeu nesta quinta-feira (9) o diálogo com os estudantes pró-democracia iniciado depois de mais de uma semana de protestos que paralisaram partes da cidade.
"As bases para um diálogo construtivo foram minadas. É impossível manter um encontro construtivo amanhã", afirmou a número dois do executivo local, Carrie Lam, atribuindo o colapso das negociações aos líderes estudantis.

Os líderes estudantis e o Executivo local haviam concordado na terça-feira em realizar uma reunião para debater suas reivindicações nesta sexta-feira.

O movimento pró-democracia obteve o apoio de boa parte da população, mas após oito dias de paralisia em Hong Kong os habitantes perderam a paciência.

Hong Kong enfrenta a maior crise política desde a devolução à China, em 1997.
Apesar de a China concordar em estabelecer o sufrágio universal na próxima eleição para o Executivo do território autônomo em 2017, pretende manter o controle das candidaturas, uma proposta inaceitável para o movimento pró-democracia.
Os manifestantes também exigiam, em vão, a renúncia do número um do executivo, Leung Chun-ying, que é visto como um fantoche de Pequim.

Em cenas pouco frequentes em Hong Kong, a polícia recorreu em 28 de setembro ao uso de gás lacrimogêneo contra os manifestantes.
A imprensa local e internacional chegaram a evocar a repressão ao movimento democrático na praça Tiananmen (Praça da Paz Celestial) em 1989 que, de acordo com fontes independentes, deixou centenas de mortos em Pequim, sem contar no restante da China.

Fonte: G1
Foto: Vincent Yu / AP
Página anterior Próxima página