Notícia: Doleiro Alberto Youssef depõe em processo sobre empresa de fachada

Doleiro Alberto Youssef depõe em processo sobre empresa de fachada



O doleiro Alberto Youssef é um dos réus que serão ouvidos, nesta terça-feira (31), em um processo que investiga o uso do laboratório farmacêutico Labogen para lavagem de dinheiro. De acordo com as investigações da Operação Lava Jato, deflagrada em março de 2014, a companhia tinha Youssef como sócio oculto.

A empresa chegou a fazer um contrato de parceria com o Ministério da Saúde, na época da gestão de Alexandre Padilha, em 2013. A audiência está marcada para começar às 10h, na Justiça Federal, em Curitiba.

As investigações apontaram indícios de que o ex-deputado federal André Vargas (sem partido-PR) ajudou Youssef a fechar a parceria junto ao ministério. O caso fez com que Vargas terminasse expulso do Partido dos Trabalhadores (PT) e também à cassação do mandato dele, que ocorreu em dezembro de 2014.

O doleiro deve depor ao lado de outros réus na ação, como Esdra de Arantes Ferreira, Pedro Argese Júnior e o sócio da Labogen, Leonardo Meirelles. Em julho de 2014, Meirelles disse no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados que foi apresentado a André Vargas pelo doleiro Youssef.

À época ele afirmou ter participado de reuniões dentro do gabinete do ex-deputado. “A tratativa foi com o deputado, para quem coloquei que era um bom projeto para o país e que tínhamos condições de fazer dentro do prazo. Fomos encaminhados para a Secretaria de Ciência e Tecnologia [do Ministério da Saúde]”, relatou Meirelles aos parlamentares.
Em abril do mesmo ano, Vargas reconheceu que conhecia Meirelles, mas negou que houvesse qualquer irregularidade nos contatos que teve com ele.

Fonte: G1
Foto: A/D
Página anterior Próxima página