Notícia: Ataque aéreo de coalizão no Iêmen deixa mortos após início de trégua

Ataque aéreo de coalizão no Iêmen deixa mortos após início de trégua


Menina chora após um bombardeio comandado pela Arábia Saudita matar o pai dela em Sanaa, capital do Iêmen.

Ataques aéreos liderados pela Arábia Saudita mataram 21 civis na capital do Iêmen, Sanaa, na manhã desta segunda-feira, disseram parentes de vítimas e médicos à Reuters, dois dias após o início de uma trégua humanitária intermediada pela Organização das Nações Unidas (ONU), não reconhecida por Riad.
"Três mísseis miraram no bairro, destruindo 15 casas, matando 21 pessoas e ferindo outras 45", disse um morador.

Uma aliança liderada pela Arábia Saudita bombardeou a milícia houthi e Forças militares leais ao governo do ex-presidente Ali Abdullah Saleh desde 26 de março, com objetivo de expulsá-los de áreas no sul e centro do país e restaurar o governo exilado.
Os houthis, que são aliados ao Irã, principal rival regional de Riad, avançaram de sua fortaleza no norte há um ano, capturando a capital Sanaa em setembro, e seguiram para o sul neste ano, gerando os ataques aéreos liderados pela Arábia Saudita.

Mais de 3 mil pessoas foram mortas no confronto e ataques aéreos até o momento, ampliando uma crise humanitária existente, mas os houthis e as Forças de Saleh permanecem no povoado lado ocidental do país.
A ONU intermediou uma pausa no confronto na sexta-feira para permitir a entrega de ajuda humanitária, mas a aliança liderada pela Arábia Saudita informou que não foi pedida pelo presidente exilado do Iêmen, Abd-Rabbu Mansour Hadi, para parar os ataques.

Fonte: G1
Foto: Khaled Abdullah/Reuters
Página anterior Próxima página