Notícia: ‘Chegamos a um acordo ambicioso e equilibrado’, diz presidente da COP 21

‘Chegamos a um acordo ambicioso e equilibrado’, diz presidente da COP 21



O presidente da COP 21, Laurent Fabius, afirmou neste sábado (12) ao abrir a sessão plenária da cúpula do clima de Paris, que conseguiu chegar à redação de um acordo do clima "ambicioso e equilibrado".

Fabius, que é ministro das relações exteriores da França, discursou na plenária mas ainda não divulgou oficialmente a versão oficial do texto, que deve sair só 13h30 (horário de Paris). Em seguida, a proposta seguirá para aprovação dos representantes de 195 países presentes no encontro.

O objetivo da COP 21 é formular um acordo global para corte das emissões de gases do efeito estufa e implementação de políticas de adaptação ao aquecimento global.

“Esse texto é o melhor equilibrio possível, um equilibrio poderoso e delicado", afirmou Fabius. "Se adotado, esse texto vai marcar um ponto de virada histórico."

O conteúdo exato do texto ainda não é conhecido, mas o chanceler francês mencionou alguns de seus pontos, como o objetivo de manter a temperatura do planeta com um acréscimo "muito abaixo de 2°C" e "buscando 1,5°C".

Também está incluído o compromisso de países ricos de garantirem um financiamento de ao menos US$ 100 bilhões por ano para combater a mudança climática em nações desenvolvidas a partir de 2020.

Outros tópicos foram mencionados, como a inclusão de um dispositivo para compensação por perdas e danos em nações afetadas pela mudança climática que já está em curso.

A ambição do acordo também deverá ser revisada a cada 5 anos, já que as promessas atuais de corte de emissão não são suficientes para segurar a elevação de temperatura a menos de 2°C.

Ban Ki-Moon, secretário-geral da ONU, pediu aos representantes de 195 países presentes que aprovem o documento.
"As soluções para a mudança do clima estão na mesa, estão à nossa disposição agora", afirmou. "Vamos terminar o serviço. Bilhões de pessoas dependem de vossa sabedoria."

O presidente da França, François Hollande, fez um discurso emocionado. "Paris foi atacada há quase exatamente um mês”, disse, em referência aos atentados terroristas de 13 de novembro “A França os pede agora para adotar o primeiro acordo universal para o clima."

Ele também pediu à plenária que aprove o acordo. "O acordo nao vai ser perfeito para ninguém se ele for lido só com interesses particulares em mente", disse. "Não seremos julgados por nossas palavras, mas por nossos atos. Não por um dia, mas por um século."

Fonte: G1
Foto: AP Photo/Francois Mori
Página anterior Próxima página