Notícia: Esquema da Lava Jato pagou R$ 6 milhões a empresário de Santo André

Esquema da Lava Jato pagou R$ 6 milhões a empresário de Santo André



A 27ª fase da Operação Lava Jato identificou um dos beneficiários do esquema de corrupção: o empresário paulista Ronan Maria Pinto recebeu R$ 6 milhões. Os recursos vieram de um empréstimo fraudulento que o pecuarista José Carlos Bumlai obteve junto ao Banco Schahin em outubro de 2004.

Bumlai já foi preso pela Lava Jato e é amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele admitiu ter feito o empréstimo, que totalizou R$ 12 milhões, e disse que o objetivo era pagar dívidas de campanha do PT e "caixa 2". Investigadores ainda não confirmaram quem foi o destinatário final dos outros R$ 6 milhões.

O empréstimo foi pago por meio da contratação fraudulenta da Schahin como operadora do navio-sonda Vitória 10.000, pela Petrobras, em 2009, ao custo de US$ 1,6 bilhão.

Deflagrada nesta sexta-feira (1º), a 27ª fase, chamada de Carbono 14, cumpre 12 mandados judiciais, entre eles, um de prisão temporária para Ronan Pinto. Ele foi detido e será levado a Curitiba ainda hoje.

Ao detalhar a operação, o procurador Diogo Castor afirmou que o objetivo era entender o caminho do dinheiro. Segundo ele, o esquema era muito parecido com o que ocorria no mensalão. Empréstimos fraudulentos, que não eram pagos, foram usados para financiamento político. Os dois casos ocorreram na mesma época.

Castor afirma que a investigação ainda não sabe por que Ronan Pinto recebeu R$ 6 milhões.
O empresário já foi condenado a 10 anos, 4 meses e 12 dias de reclusão, em regime fechado, e pagamento de multa por concussão e corrupção ativa. Ele foi acusado de envolvimento em esquema de cobrança de propina de empresas de transportes contratadas pela prefeitura de Santo André, entre 1999 e 2001.

O que diz o suspeito
Em nota, advogados de Ronan diz que ele sempre esteve à disposição dos investigadores. "Há meses reafirmamos que o empresário Ronan Maria Pinto sempre esteve à disposição das autoridades de forma a esclarecer com total tranquilidade e isenção as dúvidas e as investigações do âmbito da Operação Lava Jato, assim como a citação indevida de seu nome. Inclusive ampla e abertamente oferecendo-se de forma espontânea para prestar as informações que necessitassem", diz o texto.

Fonte: G1
Foto: Divulgação
Página anterior Próxima página